Coaching e Concurso – Uma Relação de Amor


Publicado em Categorias Coach, ConcursoTags , ,


Falou em estabilidade, muitas pessoas pensam em concurso! Bem, estabilidade é você quem constrói, independentemente de estar num concurso federal, estadual ou municipal. É verdade que se formos falar em ser estáveis no sentido de só poder ser demitido em caso de uma improbidade administrativa grave, que você, enquanto profissional, nunca cometeria, realmente, o concurso traz sim essa estabilidade. Então vamos conversar sobre ele.

Para começarmos, enquanto coach para concursos eu te pergunto: por que você quer fazer concurso? Se a sua resposta for apenas, “para ter estabilidade” é bom repensá-la, pois quem é concurseiro sabe que até entrar no concurso dos sonhos, vai passar por diversos momentos de instabilidade e, depois que entra, você vai querer sempre mais e mais. Mas deixando a estabilidade de lado, pergunto novamente: para que instituições você quer estudar? Fiscal, tribunal, administrativo, polícia militar, civil, federal, bancos, agencias reguladoras.

Você que é concurseiro sabe a importância de decidir isso, antes de qualquer coisa, para ter foco no momento dos estudos. Mas para você que está começando, já te deixo essa dica: para que você quer estudar? Por fim, a terceira pergunta: está preparado para perdas e ganhos da escolha que fez? Você pode levar dias, meses, anos ou décadas, embora nosso desejo seja o de que você leve o tempo mínimo para a realização do seu sonho.

Pronto! Acredito que esses são os três questionamentos para podermos começar a entender sobre o coaching (enquanto processo) para concursos. O coach (profissional) é o teu agente de mudanças. Ele vai ajudar a melhorar a sua performance nos concursos, a partir das escolhas certas, com crenças que te libertam e não te aprisionam. A ideia é trabalhar um tripé formado por conhecimento, metodologia e emoções. Na verdade, a ideia é que você seja trabalhado para efetivamente aprender a aprender. Concurso não é só conhecimento. Quer ver?

Quantas pessoas que estudam para concursos são capazes de te falar o artigo 5º inteiro da Constituição Federal e na própria prova de constitucional, de dez questões, só acertar no máximo 6? Não é só metodologia, ou seja, forma de estudar. Vamos lá: quantas pessoas você conhece que faz música, divide o tempo, usa programação neurolinguística e na hora da prova parece que nunca viu nada daquilo que está na frente ou tem a impressão de que sabe de tudo e no final, de 50 questões, acerta menos de 30%? Por fim, quantas pessoas têm o conhecimento e a metodologia e na hora da prova, dá um frio na barriga, uma cobrança interna tão gritante, que parece que todas as suas redes sociais estão lhe cobrando, toda a família, além dos seus próprios sonhos esperados e a pessoa não consegue fazer nem uma questão que já repetiu mil vezes no cursinho?

Pois é. Já passei por isso. Em 2011 e 2012, passei estudando somente para concursos. Pedi demissão do trabalho e fui estudar para concursos. Agora, estou colhendo os frutos. Hoje, sou coach para concursos e trabalho como Administradora em uma empresa pública. Como sou Administradora, decidi estudar para concursos que fossem apenas para Administradores e em áreas específicas de gestão.

O mundo dos concursos não é um segredo, é um equilíbrio. Esse equilíbrio tem que começar a partir do seu conhecimento em relação a você mesmo, aos seus sonhos, às suas motivações em relação aos concursos. Assim, o coaching e o concurso, para você consurseiro, ou iniciante, precisa ser uma relação de amor. Amor verdadeiro, de entrega construída na confiança, primeiramente em você, depois no seu coach e no processo de coaching.

E não confunda: uma coisa são os professores que te passarão dicas para estudar, os conteúdos, que te treinarão no conhecimento, mas sem te acompanhar individualmente em suas necessidades. Outra coisa é o seu coach. Aquele que vai te acompanhar, que vai fazer você perceber em você mesmo todas as respostas que precisa para melhorar sua performance nos concursos.

Trabalhar as chamadas crenças limitantes que lhes foram impostas ou desenvolvidas, trabalhar as pressões externas e, principalmente, as internas e os esquemas de comparação com os amigos que passaram, já são grandes e importantes passos para um futuro promissor nos cargos públicos. Trabalhar as frustrações também! Como aprendi com meus amigos da formação de coaching do Positive Vírus e Abracoaching, começando não dando poder às suas dúvidas, já é uma base para não duvidar do seu poder e conseguir trabalhar o seu cérebro e as suas emoções para vitória. Vamos juntos! Você consegue! Você pode!

Joseli Mendonça
Coach e Consultora - Prática Consultoria & Desenvolvimento. Administradora, formada pela UFPE, especialista em Pedagogia Empresarial pela FAFIRE, estudante do 5ª período de Psicologia pela Esuda, docente em Administração pelo SENAI PE e Diretora e Consultora Organizacional pela Prática Consultoria e Desenvolvimento.